A GNR vai colocar, na madrugada e na manhã de sábado, mais de 1600 militares nas ruas a fiscalizar a condução sob influência de álcool, informou a corporação.

A operação, denominada Baco, começa depois da meia-noite, termina às 07:00 e vai incidir nas vias «onde as infrações por excesso de álcool são mais frequentes e dão origem a um risco acrescido de acidentes de viação (sobretudo nos acessos a estabelecimentos de diversão noturna), e existam dados ou indícios da prática de ilícitos de natureza criminal», diz um comunicado.

É que, além da fiscalização centrada no consumo de álcool, a operação, precisa o comunicado, vai incidir nas substâncias psicotrópicas (drogas) e no combate à criminalidade.

Ao todo estão previstas, durante as sete horas, 627 ações de fiscalização, feitas por 1616 militares da Unidade Nacional de Trânsito, dos comandos territoriais e da Unidade de Intervenção.

No ano passado, diz a GNR, foram testados 1.142.176 condutores, tendo sido detetados 30.786 com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,50 gramas por litro de sangue. Desses, 12.247 conduziam com uma taxa de álcool igual ou superior a 1,20 gramas (considerado crime).

Segundo a GNR, em 2013 baixou «de forma consistente» a sinistralidade rodoviária nas zonas à responsabilidade da Guarda.

Ainda assim, a corporação deixa um aviso: «Não obstante a redução da sinistralidade no ano transato ser encorajadora, particularmente no que respeita à diminuição do número de vítimas mortais, a Guarda irá realizar, no presente ano, um conjunto de operações de combate à sinistralidade rodoviária», cita a Lusa.