A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Leiria, deteve mais dois cidadãos estrangeiros que integram um vasto grupo dedicado ao tráfico e viciação de veículos automóveis.

Em nota de imprensa, a PJ de Leiria anunciou que deu continuidade à "Operação Gália", com a detenção de dois cidadãos estrangeiros, na região de Lisboa, suspeitos de pertencerem a um grupo dedicado ao tráfico e viciação de veículos automóveis a operar no espaço europeu, com ramificações em diferentes continentes.

Além da detenção dos homens, com idades de 27 e 54 anos, a PJ apreendeu ainda três veículos automóveis avaliados globalmente em mais de 200 mil euros.

"Nesta fase da investigação foram assinalados mais dezassete veículos automóveis de gama alta, obtidos fraudulentamente e submetidos a falsificação de características identificativas pelo grupo em questão, com vista a subsequente comercialização noutros países", refere a nota da PJ.

Os detidos vão presentes às autoridades judiciárias competentes, para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

No dia 29 março, a PJ, com o apoio da Agência da União Europeia de Cooperação Policial (Europol), anunciou que deteve oito pessoas suspeitas de tráfico de droga e viciação de veículos de âmbito internacional.

A "Operação Gália", desencadeada pela PJ de Leiria, desenvolveu-se desde novembro de 2015, tendo culminado com a detenção de sete homens e uma mulher "fortemente indiciados pela prática de crimes de furto qualificado, falsificação de documento, recetação, burla qualificada e associação criminosa", referia então a PJ em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

Segundo esta polícia de investigação criminal, dois dos detidos são ainda suspeitos de tráfico de estupefacientes e detenção de armas proibidas.

O grupo de dimensão internacional era liderado em Portugal por um cidadão estrangeiro, adiantava a PJ, referindo que o mesmo se dedicava "ao furto e à obtenção fraudulenta de automóveis de gama média/alta em diferentes países europeus, nomeadamente Espanha, Bélgica, Itália e Suíça".

Posteriormente, procedia à "falsificação das suas características identificativas para subsequente legalização e comercialização em território nacional ou exportação para os continentes africano e asiático".

As ações policiais decorreram nas zonas de Leiria, Caldas da Rainha, Loures, Lisboa e Cascais, tendo levado à apreensão de material "com relevante interesse probatório, incluindo a recuperação de 16 veículos automóveis".