A «Operação Coliseu», realizada pela Guarda Nacional Republicana (GNR) entre 10 e 20 de dezembro em recintos que albergam circos ou atividades semelhantes resultou em três autos de contraordenação e na apreensão de nove espécimes protegidos.

De acordo com um comunicado da GNR, das ações de fiscalização durante este período, que pretendiam «reprimir eventuais infrações à legislação nacional e comunitária», resultou a apreensão de sete répteis e duas otárias «por falta de registo/licença ou certificado».

«Os espécimes encontram-se abrangidos pela convenção de Washington, vulgarmente conhecida por convenção CITES. O comércio de espécies selvagens ameaçadas de extinção é atualmente objeto de regulamentação internacional através da convenção CITES. Portugal aderiu a esta convenção em 1980, a qual é considerada uma ferramenta fundamental de proteção e conservação de espécies ameaçadas de extinção¿, explica o comunicado da GNR.

Na «Operação Comércio Seguro» também da GNR, que decorreu entre 14 e 24 de dezembro, 2.625 militares da GNR estiveram envolvidos em 265 ações de sensibilização e informação a 12.834 comerciantes e lojistas, como relata a Lusa.