A GNR registou, durante a operação «Ano Novo Seguro 2014» que terminou no domingo, mais oito mortos e menos 313 acidentes do que no mesmo período do ano passado, indicou esta segunda-feira a corporação.

Num comunicado para divulgar os resultados da operação «Ano Novo Seguro 2014», a GNR refere que registou, entre 31 de dezembro a 4 de janeiro, 707 acidentes (menos 313 do que no ano passado), 11 mortos (mais oito), 24 feridos graves (mais cinco) e 218 feridos leves (menos 71).

A Guarda Nacional Republicana ressalva que o número de vítimas mortais reflete dados provisórios, encontrando-se contabilizados os mortos cujo óbito foi declarado no local do acidentes ou a caminho do hospital.

Durante a operação «Ano Novo Seguro 2014», mais de seis mil militares da GNR reforçaram o patrulhamento e a fiscalização rodoviária nos principais itinerários e estiveram «particularmente atentos» às matérias que mais influenciam a sinistralidade rodoviária e suas consequências.

Nesse sentido, a GNR detetou 207 condutores com uma Taxa de Álcool no Sangue (TAS) igual ou superior a 1,20 gramas por litro, o que é considerado crime, e 35 por falta de habilitação legal para o exercício da condução.

Os militares da GNR multaram ainda 7.816 condutores, nomeadamente 612 por excesso de álcool, 3.303 por excesso de velocidade, 309 por falta de inspeção periódica obrigatória, 282 relativas a cintos de segurança e sistemas de retenção para crianças, 263 por utilização do telemóvel durante a condução e 136 por falta de seguro.