Os prejuízos causados pela tempestade que assolou o litoral português na semana passada ultrapassam o meio milhão de euros no concelho de Odemira, no Alentejo, a maior parte em equipamentos públicos, anunciou hoje o município.

Os maiores estragos foram registados em estruturas de acesso às praias (escadas, pontes e passadiços de madeira), em apoios de praia e nos quatro portinhos de pesca do concelho, informou o município em comunicado enviado à agência Lusa.

As praias do Farol e do Malhão (Vila Nova de Milfontes), de Almograve (Longueira/Almograve) e da Zambujeira do Mar e do Carvalhal (São Teotónio) foram particularmente afetadas pela agitação marítima, indicou a autarquia.

Segundo a Câmara de Odemira, «serão necessários mais de 500 mil euros para reparação da orla costeira e de todos os equipamentos públicos danificados, bem como da necessária reposição de areia nas praias».

O município pretende «¿colaboração» para reparar os estragos provocados pelo mar no início da semana passada, pelo que «vai solicitar reuniões urgentes com as entidades com jurisdição no litoral».

Os prejuízos contabilizados pelos particulares rondam os 150 mil euros, nos quais se incluem a destruição parcial de um restaurante situado em Vila Nova de Milfontes.

A força do mar arrancou algumas das estacas que servem de suporte ao edifício, construído em madeira sobre o areal da praia do Farol, e levantou tábuas do soalho.

Os quatro portinhos de pesca do concelho foram «bastante fustigados pela ondulação», que deixou estragos em infraestruturas e equipamentos, e destruiu algumas embarcações.