Uma onda de grandes dimensões arrastou esta segunda-feira quatro carros, na avenida do Mar, na Foz do Arelho, no concelho das Caldas da Rainha, onde os bares foram encerrados e o trânsito cortado, informaram os bombeiros.

A onda «galgou a marginal [avenida do mar] e arrastou quatro carros que chocaram uns contra os outros, mas que sofreram apenas danos materiais não havendo feridos a registar», disse à agência Lusa o comandante dos bombeiros das Caldas da Rainha, José António Silva.

Os carros que se encontravam na Avenida do Mar, na praia da Foz do Arelho, «ficaram a trabalhar e foram retirados pelos proprietários», depois de «a onda espraiar pela estrada antes de chegar aos bares», explicou o mesmo responsável.

Após o incidente, ocorrido pouco depois das 19:00, os bares foram encerrados e o trânsito cortado na avenida, situação que o comandante dos bombeiros estima que se mantenha «até à maré alta prevista para às 07:00» de terça-feira.

Agitação marítima deverá manter-se até às primeiras horas de terça-feira

A agitação marítima forte registada esta segunda-feira, que deu origem a ondas com 14 metros de altura máxima, deverá manter-se até às primeiras horas de terça-feira, anunciou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

«A agitação marítima forte que tem dado a origem a ondas que atingiram cerca de 9 metros de altura significativa e 14 metros de altura máxima durante a tarde de hoje, de acordo com a bóia ondógrafo de Leixões irá manter-se com valores semelhantes até às primeiras horas do dia 07 [terça-feira]», refere o IPMA num comunicado hoje divulgado ao final da tarde.

O Instituto prevê que na tarde de quarta-feira, dia 08 de janeiro, a «altura significativa das ondas diminua gradualmente para valores entre 4 e 5 metros e a altura máxima para valores entre 5 e 7 metros».

O IPMA colocou esta segunda-feira dez distritos do continente (Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Setúbal, Beja e Faro) sob aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro, devido à agitação marítima.

No comunicado divulgado esta segunda-feira, o IPMA refere ainda que «a superfície frontal fria que está afetar o território do continente irá manter-se até ao final do dia 07 [terça-feira] originando chuva persistente, em especial na região Centro».