A Universidade Lusófona entregou ao Ministério Público o inquérito interno que realizou sobre a tragédia do Meco, em que morreram seis alunos da instituição, em meados de dezembro, disse à Lusa fonte da universidade.

Em comunicado enviado à Lusa, a Lusófona afirma que concluiu o inquérito interno destinado a aclarar os factos que envolveram sete alunos da instituição e que o relatório foi entregue ao Ministério Público, encontrando-se agora «em segredo de justiça».

O inquérito foi iniciado a 20 de janeiro pelo gabinete jurídico da universidade, com o objetivo de «aclarar os factos que tiveram lugar durante o fim-de-semana de 14 de Dezembro de 2013 na praia do Meco, onde estiveram envolvidos sete alunos da Universidade», acrescenta a instituição.

Os seis jovens morreram durante a noite na zona do Meco, a sul de Lisboa, em circunstâncias ainda por esclarecer. Todos faziam parte da comissão de praxes da universidade.