Quase nove milhões de pessoas são infetadas com tuberculose todos os anos, mas cerca de três milhões não chegam aos serviços de saúde, por falta de acesso ou de diagnóstico, alerta a Organização Mundial de Saúde (OMS).

«Alcancemos os três milhões» é o lema da campanha da OMS para o Dia Mundial da Tuberculose, que se assinala no dia 24 de março.

«Estimamos que anualmente ocorram entre 8,6 e nove milhões de casos de tuberculose. Os sistemas de saúde dos países notificam [à OMS] cerca de seis milhões, isso quer dizer que outros três ficam sem detetar», informou esta quinta-feira em conferência de imprensa Mario Raviglione, diretor do departamento dedicado à doença na OMS.

Além disso, acrescentou, dos seis milhões detetados estima-se que entre 450.000 e 500.000 sejam casos de tuberculose multirresistente (MDR-TB, na sigla em inglês).

Destes, apenas 90 mil são diagnosticados, «o que é muito alarmante, porque é um número muito baixo», alertou o especialista.

A OMS declarou no ano passado que a MDR-TB era uma «crise sanitária» e deveria ser abordada «com urgência», recordou hoje Raviglione.

A agência da ONU para a saúde aplicou em 27 países em desenvolvimento o programa EXPAND TB, que visa melhorar as técnicas de deteção e diagnóstico da tuberculose em general e da multirresistente em particular.

Este programa permite que o diagnóstico se faça em duas horas, e não em dois meses como acontece em vários países, especialmente os mais pobres, que têm apenas um laboratório central ou que têm de enviar as amostras para outro país.

Segundo os primeiros resultados, nos países onde o projeto está em vigor, triplicou o número de casos detetados.

«Sem diagnóstico, a medicina é cega. O projeto EXPAND TB é crucial para aumentar a capacidade de detetar tuberculose multirresistente», disse, por seu lado, Catherina Boehme, diretora executiva do FIND's, uma organização não-governamental que participa no projeto.

Os 27 países onde o programa foi aplicado representam 40% dos casos estimados de tuberculose multirresistente no mundo.

Até agora, o projeto teve «enormes resultados», já que mais de 30% dos casos de MDR-TB detetados no mundo em 2012 resultaram do EXPAND TB.

Com efeito, entre 2009 e 2013 triplicou o número de casos detetados de tuberculose multirresistente nos 27 países do projeto.

Na Índia, graças ao projeto, foram detetados 90% dos casos de tuberculose multirresistente.

Perante estes resultados, a OMS pede à comunidade internacional mais fundos para financiar o projeto na sua estrutura atual de 92 laboratórios e poder expandi-lo para alcançar os três milhões de casos no mundo que continuam fora dos sistemas de saúde.