Quase dois milhões de crianças no Mundo morrem todos os anos de diarreia, apesar da existência de um tratamento «simples» e «quase miraculoso», denunciou esta terça-feira a Organização Mundial de Saúde (OMS), escreve a lusa.

«Todos os anos, quase dois milhões de crianças morrem de diarreia», lamentou a organização da ONU, indicando que estas infecções propagadas pelas águas salobras são «a causa de quase 20 por cento das mortes de crianças no Mundo».

O grande desafio

Para a OMS, «o grande desafio a superar hoje» é permitir que todas as crianças que sofrem da doença tenham acesso a um tratamento pouco dispendioso que existe há 25 anos.

Este tratamento consiste em sais de hidratação oral (SRO) - que constam essencialmente numa pitada de sal e num punhado de açúcar misturados com água limpa - e em comprimidos de zinco, explicou a OMS num comunicado.

«Com os SRO e o zinco, o risco de morte é quase nulo», recordou a organização, sublinhando que o custo de tal tratamento custa 0,30 dólares (0,25 euros) por criança. Para a OMS, um dos problemas essenciais está nos meios para colocar estes tratamentos à disposição dos doentes.

«Tendo visto com os meus olhos os problemas que pode fazer a diarreia da criança e o efeito salvador quase miraculoso dos SRO e do zinco, espero sinceramente que consigamos obter o apoio de que necessitamos», declarou Olivier Fontaine, do departamento de saúde e desenvolvimento da criança da OMS.

A perder velocidade

Apesar dos efeitos devastadores da doença, a OMS lamentou que a investigação sobre a diarreia da criança esteja a «perder velocidade desde os anos 80».

Segundo a organização, os fundos consagrados à investigação da doença são «claramente inferiores ao orçamento da investigação de outras doenças que causam poucas mortes em comparação».

A OMS estima em 50 milhões o número de crianças salvas graças ao tratamento à base do SRO desde a sua criação há 25 anos.