Os «acessos muito complicados» estão a dificultar o combate ao incêndio que lavra nos concelhos de Oliveira de Frades e Sever de Vouga, disse à Lusa o segundo comandante operacional distrital de Aveiro, Pinheiro Duarte.

«Estamos com duas frentes ativas. Uma delas está a evoluir favoravelmente e a outra está a arder com média dificuldade. Como se trata de uma zona montanhosa muito ondulada, os acessos muito complicados estão a dificultar o nosso trabalho», explicou.

Pinheiro Duarte disse ainda que ao início do dia de hoje registaram-se «ventos cruzados, com rajadas de 51 quilómetros por hora».

O incêndio que teve início às 11:19 de domingo em Feitalinho/Arcozelo das Maias, no concelho de Oliveira de Frades, distrito de Viseu, estendeu-se na segunda-feira até ao concelho de Sever de Vouga, no distrito de Aveiro.

Ao final do dia de segunda-feira foi dado como dominado. No entanto, voltou a reacender durante a madrugada de hoje, lavrando com três frentes ativas até perto das 11:30.

De acordo com a informação disponibilizada na página da Autoridade Nacional de Proteção Civil, no terreno estão 358 bombeiros e 109 veículos a colaborar no combate ao incêndio, assim como dois aviões bombardeiros operacionais franceses e ainda dois helicópteros bombardeiros pesados.