As buscas por dois pescadores e uma embarcação desaparecidos na segunda-feira no Algarve foram hoje suspensas ao pôr-do-sol sem que nenhum dos pescadores tenha sido encontrado, confirmou o comandante da Capitania do Porto de Faro.

«As buscas forma suspensas ao pôr-do-sol, cerca das 17:30, sem que tenha sido avistado qualquer indício», disse à agência Lusa o comandante da Capitania do Porto de Faro e representante da Autoridade Marítima do Sul, Malaquias Domingues.

De acordo com o comandante, as buscas envolveram hoje meios aéreos, terrestres e marítimos, mas «a partir das 13:00 o agravamento das condições impediu a continuação do patrulhamento no mar», tendo a operação sido reduzida ao «patrulhamento da orla costeira, com a afetação de 12 agentes da polícia marítima».

Segundo o responsável, «para quarta-feira mantém-se previsões de condições adversas», pelo que «é desaconselhável o recurso a meios marítimos e só se prevê e entrada no mar se forem avistados indícios que valham a pena».

As buscas mobilizaram hoje um helicóptero, duas lanchas de fiscalização rápida, dois navios e cerca de 50 homens, entre os quais um grupo de mergulhadores forenses da Polícia Marítima.

Dois pescadores de Olhão e uma embarcação de pesca local, com cerca de seis metros de comprimento, estão desaparecidos desde segunda-feira à tarde e as buscas na costa entre a Culatra e Albufeira foram retomadas às 07:30 de hoje.

Os pescadores desaparecidos têm 58 anos e cerca de 35 e as famílias confirmam o desaparecimento de ambos os homens.

A última vez que os dois pescadores foram avistados foi na segunda-feira de manhã, cerca das 07:00, em frente à zona da barrinha, entre a ilha de Faro e a Deserta, acrescentou o comandante Malaquias Domingues.