Um grupo de 98 pilotos aviadores da Força Aérea aderiu em bloco à Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA) em sinal de insatisfação e protesto contra as condições remuneratórias, de trabalho e de segurança das missões.

De acordo com o presidente da AOFA, Manuel Cracel, citado pela Lusa, as adesões foram concretizadas no final da semana passada.

A degradação das condições de trabalho, as reduções salariais e de suplementos específicos por um lado, e o «desinvestimento na segurança e treino» das tripulações são os principais motivos de insatisfação, disse à Lusa um dos dos pilotos, que pediu anonimato para não incorrer na violação do dever de sigilo.