A mortalidade por «todas as causas» está acima do esperado segundo dados oficiais, embora o número de mortes ocorrido em Portugal desde o início do ano seja inferior ao registado no mesmo período do ano passado.

De acordo com o Boletim da Vigilância de Mortalidade da Direção Geral da Saúde (DGS), na primeira semana deste ano (entre os dias 01 e 03 de janeiro) registaram-se 1.238 óbitos.

No mesmo período de 2014 (entre 01 a 04 de janeiro), tinham sido registados 1.500 mortes.

Na segunda semana de janeiro deste ano, de acordo com a mesma fonte, morreram 2.268 pessoas, por todas as causas, contra os 2.448 óbitos no mesmo período do ano passado.

Segundo o Boletim de Vigilância Epidemiológica da Gripe, elaborado pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), na primeira semana do ano registou-se uma mortalidade por “todas as causas” acima do esperado..

O Boletim dá conta do início do período epidémico, com uma taxa de incidência da síndrome gripal de 127,7 casos por cada 100 mil habitantes, acima da zona de atividade basal.