O artista plástico português Manuel Gregório Pereira morreu na quinta-feira, em Lisboa, aos 82 anos, vítima de doença súbita, informou esta sexta-feira fonte da família à agência Lusa.

Manuel Gregório Pereira tem obras permanentes nos Museus da Marinha e Militar de Lisboa entre outras coleções públicas e privadas.

O autor português que utilizava a técnica da espátula com pintura em relevo nasceu a 20 de fevereiro de 1931, em Tavira.

Em 1937, a sua família foi viver para Huelva, em Espanha, onde permaneceu vários anos e o onde o seu talento viria a ser descoberto pelos irmãos Manuel e Henrique Piña, na academia de São Fernando e, posteriormente, pelo mestre Orduña Castelhano, com quem mais tarde acabaria por estudar e trabalhar em Sevilha.

Manuel Gregório Pereira frequentou a Escola Superior de Belas Artes em Lisboa, onde ingressou aos 22 anos, e foi discípulo do mestre Machado da Luz.

O artista plástico viveu um período de cerca de seis anos nos Estados Unidos e trabalhou cerca de cinco anos, em exclusivo, com as «Galerias WallyFindlay», em Beverly, na Califórnia, chegando a expor ao lado de Pablo Picasso e Marc Chagal, na galeria Perón em Genebra, na Suíça.

Na década de 1980 expôs individualmente na Holanda, Dinamarca e Alemanha, e um dos seus quadros foi selecionado para figurar com «poster» anual da «Big Sur Land Trust Foundation», em Monterrey, na Califórnia.

A obra de Manuel Gregório Pereira é descrita como uma «importante referência na atual pintura naturalista portuguesa de expressão impressionista», indica uma nota enviada à agência Lusa.