O arquiteto Diogo Seixas Lopes morreu hoje de madrugada, em Lisboa, vítima de cancro, disse à agência Lusa uma fonte da Ordem dos Arquitetos.

A mesma fonte adiantou que Diogo Seixas Lopes faleceu numa unidade de cuidados paliativos em Mafra.

Diogo Seixas Lopes era atualmente, com André Tavares, um dos arquitetos responsáveis pela curadoria da quarta edição da Trienal de Arquitetura de Lisboa, prevista para decorrer na capital de outubro a dezembro de 2016, sob o título "A Forma da Forma".

Diogo Seixas Lopes nasceu em Lisboa, em 1972, e era licenciado em arquitetura pela Universidade Técnica de Lisboa e doutorado pelo Instituto Federal Suíço de Tecnologia de Zurique.

Foi professor convidado na Universidade de Coimbra e na Universidade de Carleton em Ottawa e foi bolseiro do Centro Canadiano de Arquitetura e da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Fez parte da direção do Jornal Arquitetos e foi consultor da Garagem Sul do Centro Cultural de Belém e sócio, com Patrícia Barbas, da Barbas Lopes Arquitetos.

O escritório desenhou edifícios públicos e privados, remodelações, montagens de exposições bem como colaborações com outros arquitetos como Peter Märkli, e em conjunto com Gonçalo Byrne, concluiu a Requalificação do Teatro Thalia em Lisboa.

Este projeto foi nomeado para os Icon Awards 2012, Designs of the Year 2013 e o Mies van der Rohe Award 2013.