O jornalista Mário Lindolfo, prémio Gazeta Reportagem de Televisão em 1985, faleceu hoje, aos 72 anos, no Hospital de Torres Vedras, disse à Lusa fonte próxima da família.

O jornalista, que foi ainda criança para Angola, deu os primeiros passos no jornalismo em Moçambique, voltando depois para Portugal, onde entrou no Jornal de Noticias, em 1971, passando depois pelo Diário de Lisboa, em 1975. Entrou depois para o extinto jornal Portugal Hoje, tendo terminado a carreira na RTP, para a qual entrou em 1979.

Mário Lindolfo, que nasceu em Lisboa a 11 de dezembro de 1941, foi prémio Gazeta de Jornalismo de Televisão em 1985, juntamente com Carlos Narciso, com a reportagem «Bairro Negro».

Entre outros trabalhos de televisão, destaca-se ainda o documentário realizado com Alípio Freitas sobre Portugal no período pós 25 de abril.

O jornalista da TVI Vítor Bandarra recordou o companheiro que era «um grande repórter» e um homem «de ironia finíssima» com o qual trabalhou naquele que considera ter sido o primeiro jornal de humor em Portugal, o Fiel Inimigo.

«Era genial na crónica e era um homem de ironia finíssima. Fez vários textos para programas de televisão também. Textos de Humor e fomos companheiros no Fiel com o Júlio Pinto e o Rui Zink», disse Vitor Bandarra.


Veja aqui a reportagem «Bairro Negro» realizada em 1984.