Morreu Filipa Vacondeus, conhecida do grande público pelos seus programas de culinária. Estava internada no Hospital Pulido Valente desde o Natal. Tinha 81 anos.

O velório será realizado esta quarta-feira, a partir das 14.00, na Igreja do Santo Condestável, em Lisboa. A missa será às 19.30 na mesma igreja.

Filipa Vacondeus nasceu a 12 de maio de 1933, em Lisboa. Os seus livros sobre gastronomia portuguesa são uma referência desde o início dos anos oitenta, quando apresentou uma série de programas de culinária na RTP, em horário nobre.

 

Publicou 14 livros, o últimos dos quais «Os Petiscos da Filipa», em 2013, pela editora Matéria Prima.

«Ela já estava há alguns meses doente e, a seguir ao Natal, foi internada no Hospital Pulido Valente e hoje [a evolução da doença] terminou da pior maneira», afirmou  Liliana Valpaços da mesma editora.

 

Uma das figuras mais mediáticas da televisão portuguesa na área da culinária, a gastrónoma autodidata forneceu ao longo de mais de três décadas receitas simples de executar e económicas, em que privilegiava o aproveitamento de restos, a que o público respondeu com audiências e amor.

Porque as figuras públicas são com frequência alvo de brincadeira, Filipa não podia passar ao lado. Herman José dedicou vários episódios a cómicas interpretações dos emblemáticos programas de Vacondeus, em que a personagem «Filipa Vasconcelos», adicionava muita «paprika» em tudo.



Uma paródia, com o consentimento da mesma, que só contribuiu para o aumento da popularidade da chefe de cozinha.

 

Ainda no ano passado, Filipa Vacondeus integrou o painel de chefs do 24Kitchen, para adicionar ao programa a experiência de quem está no meio há muitos anos, e uma componente mais tradicional de quem conhece bem a cozinha portuguesa. Numa parceria com a cozinheira Filipa Gomes no programa «Prato do Dia», ainda participou numa das emissões dedicada ao Natal.

 


No entanto, a vida profissional de Vacondeus não começou na área da culinária. Foi hospedeira, teve uma agência de viagens e foi assessora da Junta de Turismo da Costa do Sol, o bichinho da cozinha começou a crescer quando o marido, José Vacondeus, a impulsionou a publicar receitas e críticas gastronómicas num dos seus jornais.

Do papel para o terreno, Filipa abriu um restaurante de luxo em Alfama, Cota D’Armas, que a chefe se orgulhava de «não ter um único prato que existisse noutros restaurantes».