O antigo presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) Rui Bastos morreu na terça-feira, em Lisboa, com 60 anos, vítima de doença prolongada, disse esta quarta-feira à agência Lusa o presidente do sindicato.

Rui Fernando Henrique de Almeida Bastos, que atualmente exercia funções de procurador-geral-adjunto em Évora e presidia à assembleia geral do SMMP, nasceu a 25 de julho de 1953, em Vale de Cambra.

Rui Bastos iniciou funções em 1979, em Lisboa. Santa Cruz, Cascais e Sintra foram outras localidades onde exerceu funções, refere o sítio da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) na internet.

Exerceu também funções no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP), foi procurador de Círculo em Sintra e Loures, foi magistrado formador e membro do Conselho Superior do Ministério Público.

O velório decorre desde as 11:00 desta quarta-feira na capela do cemitério de Odivelas, de onde partirá, na quinta-feira, para Vale de Cambra.

No sítio da internet, a PGDL lamenta a morte de Rui Bastos e apresenta condolências à família, nomeadamente à mulher, Maria da Luz Martins, procuradora da República na Comarca de Loures.

Entretanto, o SMMP lamentou a morte de Rui Bastos e recordou a «grande humildade e ainda maior dedicação, generosidade e brilhantismo» com que o procurador-geral-adjunto Rui Bastos serviu o «Ministério Público e a Justiça».

«Neste momento de perda, o SMMP agradece a Rui Fernando Henriques de Almeida Bastos tudo o que, ao longo da sua carreira, sempre ofereceu ao Ministério Público e ao próprio sindicato» em defesa do associativismo judiciário , refere uma nota daquela estrutura sindical.