Com o início do ano letivo à porta, muito se fala no regresso às rotinas. E com o regresso às aulas, é tempo não só de voltar à escola como ao peso ideal. É que as crianças e jovens ganham peso durante as férias.

As conclusões já não são novas, mas vale a pena fazer a revisão desta matéria dada, em nome da saúde das crianças e dos adolescentes. São estudos que, embora não se debrucem sobre os estudantes portugueses, são exemplos do que sucede nas sociedades ocidentais.

Caso de um estudo norte-americano, publicado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos, datado de 2014, que analisou 7.599 estudantes entre os cinco e os sete anos, de várias raças, do jardim de infância até ao quinto ano.

A partir do primeiro ano, as crianças têm tendência para ganhar peso durante as férias. Esta tendência surge mais cedo nas crianças que já são obesas ou têm excesso de peso e nas hispânicas.

A boa notícia é que o índice de massa corporal baixa durantes os meses de escolas.

Um outro estudo, publicado na mesma revista da especialidade, conclui que as crianças têm de facto tendência para engordar nas férias e que as escolas podem ajudar na proteção da obesidade.

A pensar nesse papel que a escola pode ter na saúde das crianças, através da prevenção da obesidade infantil, a Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI) lançou esta quinta-feira mais uma edição do  projeto “Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável”, aberto a todas as escolas, públicas e privadas.

A iniciativa, que promove a ingestão de fruta ao lanche. A APCOI relembra, em comunicado, que “74% das crianças portuguesas não ingere fruta na quantidade recomendada, das quais 7% não consome qualquer porção de fruta diariamente (…), tornando as crianças mais sujeitas a doenças como a obesidade ou a diabetes tipo 2, logo desde a infância. Portugal está entre os países europeus com maior número de crianças afetadas por esta epidemia mundial: uma em cada três crianças portuguesas tem excesso de peso”.

 

Foto Reuters

Porque engordam os adolescentes

Numa idade em que a imagem tem um peso tão grande na vida, o Jornal Internacional da Diabetes revela que os adolescentes também têm tendência para engordar.

A investigação acompanhou 279 crianças durante uma década e conclui que eles queimam menos calorias, enquanto estão a descansar, aos 15 do que aos dez anos. Em alguns casos, a redução situa-se na ordem dos 25%, o mesmo que seria dizer que esses adolescentes  deixaram de fazer uma hora de exercício físico por dia. 

Este fator associado à quebra de atividade física dos jovens na puberdade, leva a que o ponteiro da balança suba. Conclusões que levam o professor da Escola de Medicina da Universidade de Exeter, Terry Wilkin, a sublinhar à BBC que a “a obesidade infantil e a diabetes que pode vir associada estão entre os maiores desafios dos nossos tempos”.

O professor Simon Capewell, vice-presidente da Faculdade de Saúde Pública, acrescenta que é preciso melhorar as dietas dos adolescentes, para reduzir o consumo de junk food e bebidas açucaradas.

“Adolescentes, sentados a usar os smartphones e os iPads, estão a ser bombardeados com marketing de junk food – e gastam ainda menos calorias do que aquelas que inicialmente imaginámos”, como declara à BBC.