O ministro da Educação, Nuno Crato, falou pela primeira vez sobre o tema que tem estado na ordem do dia, o bullying, depois de ter sido divulgado um vídeo que mostra um jovem a ser agredido por duas raparigas. O ministro considera que já há nas escolas uma atividade de prevenção em relação a esta tipo de violência entre os jovens.
 

“Há uma atividade de prevenção que é necessária e para isso nós temos nas escolas vários programas: temos programas de educação cívica, programas de tolerância, programas de respeito.”

 
Crato destacou ainda que, além destas medidas preventivas, os estabelecimentos de ensino contam com o apoio da Escola Segura, da PSP, cujo trabalho, segundo o ministro, tem contribuído para reduzir a incidência destes casos.
 

“Temos o apoio da escola segura da PSP, que tem conseguido reduzir a incidência destes casos.”

 
No entanto, e apesar da atividade de prevenção referida, o ministro admite que estas situações continuam a existir e, por isso, é necessário que sejam denunciadas.
 

“Exceções existem e estas situações precisam de ser detetadas, relatadas e precisa de se atuar.”


Na terça-feira foi divulgado um vídeo nas redes sociais que mostra um rapaz a ser agredido por duas raparigas, ao longo de quase 13 minutos, na Figueira da Foz. O jovem é esbofeteado 30 vezes, leva onze murros e dois pontapés. 

As imagens, que foram gravadas no ano passado, na via pública, chocaram as redes sociais e depressa geraram uma onda de indignação.

O Ministério Público abriu um inquérito e, entretanto, a PSP da Figueira da Foz já identificou oito alegados agressores. Quatro dos suspeitos, maiores de 16 anos à altura dos factos, podem ser condenados a uma pena de cadeia que pode ir até aos quatro anos