As raparigas conseguiram em média melhores resultados a 12 disciplinas, tendo sido ultrapassadas pelos rapazes apenas em cinco: Física e Química, Geografia, Geometria Descritiva, História e Inglês.

Seis escolas melhores nos exames de Português e Matemática do que nas aulas

As mulheres voltaram a ter melhores resultados nos exames nacionais realizados no final do passado ano letivo, segundo uma análise às classificações médias obtidos às 17 disciplinas com pelo menos mil exames realizados, tendo por base os dados disponibilizados pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC).

As raparigas obtiveram melhores resultados a Desenho A, Francês, Literatura Portuguesa e Matemática A, mas com uma diferença de apenas algumas décimas.

Em algumas disciplinas, a diferença foi entre ficar na média positiva ou negativa: a Espanhol, Filosofia, Português, Matemática B, Matemática Aplicada às Ciências Sociais e História da Cultura e das Artes as raparigas tiveram uma média de 10 valores enquanto os rapazes ficaram-se pelos nove valores.

Com médias muito próximas, separadas apenas por centésimas, surgem as disciplinas de Biologia e Geologia (8,44 valores para as raparigas e 8,43 para os rapazes) e Economia A (11,39 valores para as raparigas e 11,33 para os rapazes).

Nos casos em que as raparigas se destacaram, as notas médias nunca conseguiram ser superiores em mais do que um valor. Já os rapazes têm diferenças muito mais significativas: a Inglês, eles tiveram uma média de 16,9 valores enquanto elas obtiveram 10,31 valores. Já a Geometria Descritiva a diferença é de dois valores (13 para os rapazes e 11 para as raparigas).

De acordo com uma análise feita pela Lusa, em média, as raparigas tiveram 9,74 valores nos exames nacionais enquanto os rapazes tiveram 9,39.

Na nota interna, ambos os sexos tiveram média de 13 valores: a média das alunas foi de 13,7 enquanto a dos alunos foi de 13,28 valores.