"Um fenómeno muito improvável" é como o Instituto Português do Mar e da Atmosfera qualifica a possibilidade de ter nevado em Lisboa na terça-feira.

Segundo alguns relatos, ao final da tarde do passado dia 10, nevou em alguns pontos da capital, como na zona das Torres de Lisboa, numa altura em que choveu intensamente. 

É isso mesmo que o IPMA tenta explicar nesta sexta-feira, através de uma publicação divulgada no seu site.

Segundo o Instituto, "o mais provável" é que tenha ocorrido "um processo de precipitação com fusão de cristais de gelo", uma vez que para nevar é preciso que o ar esteja a uma determinada temperatura, o que não aconteceu naquele momento.

"Nas estações meteorológicas automáticas mantidas pelo IPMA em Lisboa (Gago Coutinho, Geofísico/Jardim Botânico, Amoreiras e Oriente) a temperatura do ar durante a tarde apresentou valores da ordem de 10 a 12 °C, tendo pontualmente e temporariamente descido para valores mínimos da ordem de 8 °C, associados a situações de precipitação intensa", indica.

Nevar nestas circunstâncias seria, por isso, "um fenómeno muito improvável, tendo adicionalmente de se assumir a existência de temperaturas mais baixas do que as foram registadas nas estações do IPMA".

Segundo um estudo evocado pelo Instituto, com dados das estações meteorológicas em Portugal Continental no período entre 1941 e 2009, nevou em 99,3% dos casos em que a temperatura do ar variou entre os -7 e os 5 graus, "sendo que metade dos episódios tiveram lugar entre -1 °C e +1 °C".

Ainda assim, o IPMA convida todos os que testemunharam a ocorrência a partilhar os seus relatos, através do endereço http://meteoglobal.ipma.pt/ ou através da APP do IPMA em “ENVIAR OBSERVAÇÃO”. A informação partilhada deverá incluir a localização, o instante, o tipo de precipitação observada e, se disponível, a temperatura do ar, com o maior detalhe possível. Caso existam filmes da ocorrência estes deverão ser enviados para o endereço info@ipma.pt.