O gestor Durval Marques, que viveu 40 anos na África do Sul e era vizinho de Nelson Mandela, considera que Madiba «foi a pessoa mais importante do século XX» e que o país vai unir-se em torno da sua memória.

«Eu vivi 40 anos na África do Sul, assisti a Mandela preso, à sua saída em liberdade, a Mandela presidente, e para mim ele é a maior figura do século XX, a pessoa mais importante, porque tem uma menção de paz, amor e reconciliação depois de tantos anos preso, e só uma pessoa superior pode fazer uma coisa dessas», disse Durval Marques.

Em declarações à Lusa a partir de Lisboa, onde está a acompanhar «com consternação» o noticiário e as reações sobre a morte do antigo presidente sul-africano, Durval Marques explica que a morte de Nelson Mandela não vai causar qualquer problema na África do Sul.

«Antes pelo contrário, a prova de que ele preparou bem a sua sucessão e que se afastou do poder no momento próprio é que não se vai passar absolutamente nada, porque ele saiu na altura própria, houve eleições, as pessoas que governam o país foram eleitas, e vão ficar mais unidas através do Madiba, que é o nome carinhoso por que todos o chamam», disse.

Quando viveu em Joanesburgo, Durval Marques era vizinho de Nelson Mandela, e recorda o dia em que soube que Madiba queria visitar alguns dos vizinhos e que a sua casa tinha sido escolhida: «Quando ele veio a minha casa, percebi que era uma pessoa superior, tenho a maior admiração pelo homem que teve um papel importantíssimo em 'arrumar a casa', em mudar as coisas, em mudar o mundo, em terminar com o apartheid», recorda o gestor nas declarações à Lusa.

Questionado sobre o facto de Mandela ter optado por cumprir apenas um mandato, Durval Marques disse que isso é prova da sua grandiosidade: «Ele antecipou que era necessário passar o testemunho para que o país continuasse, ele não abandonou o país, ele passou o país, esteve sempre por trás, sempre foi muito respeitado na comunidade sul-africana, deixou as coisas em andamento e fez novos dirigentes, preparando as coisas para que não houvesse problemas».

A morte de Nelson Mandela, aos 95 anos, foi anunciada na quinta-feira à noite, pelo Presidente da República da África do Sul, Jacob Zuma, numa comunicação televisiva.

Líder da luta contra o ¿apartheid¿, Nelson Mandela foi o primeiro presidente negro da África do Sul, entre 1994 e 1999.