“Se o Governo, este ou outro qualquer, aceitar a redução proposta pelo ICES, o que se prevê é a miséria para estes pescadores. Não é concebível termos declarações públicas do secretário de Estado do Mar, em que há um mês dizia que se este ano fossem pescadas 30 mil toneladas ainda assim o stock crescia 2%, e termos depois uma proposta do ICES de reduzir de 19 mil toneladas em 2015 para 1.587 em 2016. É uma redução de 90%”, frisou.








“Pedimos aos ministros todos: por favor, deixem-nos trabalhar. Deixem-nos apanhar sardinha. Façam um limite, mas deixem-nos trabalhar. E peço a todos os pescadores de Portugal: se isto continuar assim, venham a Lisboa todos juntos, com força, porque nós queremos trabalhar”, frisou.


“Há anos que não se vê tanta quantidade de sardinha júnior, de petinga” como agora, assegurou.