Quatro pescadores foram salvos na madrugada deste domingo, depois da embarcação em que seguiam ter naufragado na Ilha de São Miguel. Os tripulantes ficaram a salvo ao fim de cinco hora, em situação de hipotermia.
 

“O Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada (MRCC Delgada), em articulação com a Capitania do Porto de Ponta Delgada e com a Força Aérea Portuguesa (FAP), coordenou durante a madrugada e a manhã de hoje, 31 de janeiro de 2016, a operação de busca e salvamento dos quatro tripulantes da embarcação de pesca “Rainha Iemanjá”, que naufragou junto à costa, próximo da povoação dos Ginetes, ilha de São Miguel”, refere o comunicado.

 
O comandante Cruz Martins explicou à Lusa que o alerta foi dado através de um equipamento eletrónico que algumas embarcações dispõem e que, quando acionado, emite um sinal de socorro e dá o nome da embarcação e uma posição muito próxima do sítio onde está localizada.

A Marinha descreve em comunicado como decorreram as operações: “Após o avistamento da rádio baliza pela embarcação salva-vidas da Capitana do Porto de Ponta Delgada, o helicóptero EH-101 Merlin da FAP localizou os quatro tripulantes nas rochas. Dadas as dificuldades de acesso ao local por mar e por terra, o salvamento só foi possível efetuar com recurso ao helicóptero, tendo o mesmo ocorrido cerca das 07h00 horas locais, quando as condições de visibilidade permitiram a realização da operação de resgate”.
 
Os quatro náufragos foram levados para o Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada. “Os quatro náufragos estão em situação de hipotermia, mas encontram-se bem graças a estas ações desenvolvidas”, sublinhou o comandante à Lusa. 
 
O alerta foi dado pelas 02:05 deste domingo. Participaram nas operações meios da Autoridade Marítima Nacional , a corveta António Enes da Marinha Portuguesa, um avião e um helicóptero.