Mergulhadores espanhóis conseguiram esta quinta-feira ligar um cabo de arrasto à proa do navio português naufragado nas Astúrias (Espanha), mas que rebentou pouco tempo depois devido ao mau estado do mar.

Fonte do Salvamento Marítimo espanhol disse à agência Lusa que a operação decorreu nas primeiras imersões realizadas hoje pelas equipas de mergulhadores desta entidade e da guarda civil espanhola.

A mesma fonte explicou que esta tarde os mergulhadores tentarão realizar uma operação idêntica, mas neste caso usando uma corrente, em vez de um cabo.

A embarcação continua numa situação instável e o uso da corrente é essencial para permitir suficiente estabilidade para que os mergulhadores possam depois ou arrastar o navio ou aceder ao seu interior, acrescentou a fonte.

O naufrágio do pesqueiro Santa Ana, que ocorreu próximo de Cabo Peñas, causou dois mortos, um português e um espanhol, enquanto outros seis tripulantes estão desaparecidos (um português, três espanhóis e dois indonésios).

O capitão do navio, de nacionalidade espanhola, foi resgatado com vida e já teve alta hospitalar.

As autoridades espanholas admitem que os seis desaparecidos, entre os quais o português Vítor José Farinhas Braga, poderão estar no interior do navio, já que estariam a dormir no momento do acidente, que ocorreu às 05:30 locais (04:30 em Lisboa) de segunda-feira.