O Ascensor da Nazaré transportou em 2017 mais de 946 mil pessoas, indicou hoje a autarquia, que atribui esta procura ao crescimento do turismo gerado pela inclusão da praia do Norte no calendário internacional de desporto de mar.

A estatística do Ascensor revela que “946.566 pessoas usaram este meio de transporte em 2017, o que representa uma evolução face a 2016, ano em que 897 mil fizeram uso da ligação por cabo entre a Praia e o Sítio da Nazaré”, divulgou hoje a câmara da Nazaré.

Ao crescimento do número de passageiros do Ascensor juntou-se, em 2017, o aumento de visitas ao Forte de S. Miguel, com 174 mil pessoas a deslocarem-se ao local, quando, em 2016, o monumento tinha recebido 121.374 visitantes.

Para a autarquia “a mediatização das ondas grandes da Nazaré e, ainda, a inclusão do Praia do Norte no calendário de grandes eventos internacionais de desportos de mar ajudam a explicar o grande aumento do número de visitas ao Forte de S. Miguel Arcanjo e ao Ascensor."

Citado numa nota de imprensa, o vereador da Modernização Administrativa e vogal dos Serviços Municipalizados (responsável pela gestão do Ascensor), Orlando Rodrigues, aponta como “principal razão do exponencial aumento de entradas”, naqueles dois ícones turísticos, “a promoção internacional do concelho”.

Segundo dados do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), divulgados pela autarquia, “dos equipamentos de transporte por cabo existentes no país, o Ascensor da Nazaré foi o que mais passageiro transportou em 2016, ultrapassando Lisboa e Porto”.

O elevador, que faz a ligação entre a praia e o Sítio, conheceu o maior crescimento de passageiros em 2015, tendo crescido 28% comparativamente a 2014, quando 675 mil pessoas efetuaram a viagem.

Na base do crescimento esteve também, segundo Orlando Rodrigues o facto de o Ascensor ter sido nos últimos anos “alvo de várias obras e intervenções, nomeadamente para a recuperação das linhas aérea e térrea e para o aumento do conforto do serviço”.

Já o Forte de S. Miguel recebeu 400 mil turistas em quatro anos de abertura regular ao público, revelou a Câmara.

Em 2015, o segundo ano de experiência da abertura do monumento ao público, foram feitas 80 mil visitas; em 2016 registaram-se 121.374 entradas e, em 2017, 174 mil visitas ao monumento.

Trata-se, segundo o presidente da câmara, Walter Chicharro, de “um dos mais icónicos monumentos do concelho e elemento representativo das maiores ondas do planeta”, sendo atualmente “um dos principais motivos de visita da Nazaré”.

Encarando o Forte e a Praia do Norte como “bases de grande valor na afirmação do território”, o autarca negociou com o Governo a cedência do monumento e assinou um contrato com o arquiteto João Rapagão, para a realização de um projeto de restauro e consolidação estrutural em que irá investir cerca de um milhão de euros.

Os números do ascensor e do Forte juntam-se aos dos Postos de Turismo da Nazaré, divulgados no dia 12, e que apontam para a passagem de turistas de 93 nacionalidades em 2017.

No total, foram registados 21.456 pedidos de informação sobre o concelho no posto da Praia da Nazaré e 14.470 no Posto do Sítio (aberto apenas desde maio de 2017).