A PSP anunciou hoje a detenção de uma mulher, de 67 anos, suspeita de gerir um negócio de prostituição numa pensão em Lisboa, que já tinha sido condenada em tribunal pelo mesmo tipo de crime.

A polícia deteve a mulher na quarta-feira no cumprimento de um mandado de busca domiciliário, no âmbito de um processo de lenocínio agravado, que resultou de uma investigação iniciada há um ano e meio.

A mulher é suspeita de utilizar uma pensão, num avançado estado de insalubridade, como fachada de um negócio que tinha entre seis a dez mulheres a prestarem favores sexuais em troca de dinheiro.

Fonte da Divisão de Investigação Criminal de Lisboa disse à agência Lusa que os crimes de lenocínio e de prostituição eram praticados numa pensão em São Sebastião da Pedreira.

«As mulheres são sobretudo portuguesas, com idades entre os 20 e os 35 anos. Quanto aos clientes, eram angariados em anúncios de jornais», disse a fonte.

Segundo a PSP, a detida aplicava castigos corporais e psicológicos às mulheres que não produzissem o maior lucro possível, e exigia-lhes metade das quantias monetárias ganhas com esta atividade.

A detida já tinha sido condenada a dois anos de prisão com pena suspensa pelo crime de lenocínio e já foi presente a tribunal para primeiro interrogatório judicial, que aplicou como medida de coação as apresentações semanais às autoridaddes.