“Decorrido que está este primeiro ano, o balanço dificilmente poderia ser mais negativo, devido às dificuldades impostas a quem tem de recorrer aos serviços de justiça”, lê-se num comunicado do movimento.




“Obviamente que é impossível ter qualquer confiança no sistema judicial com números desta grandeza”, acrescenta, lembrando que, associado ao “muito tempo” que os processos levam a ser decididos, “a cada vez maior distância física entre os utentes e os tribunais também leva a que as famílias de menores recursos financeiros fiquem afastadas da justiça.”