A Câmara do Porto e a Metro estão a trabalhar para que seja possível reeditar a partir do S. João o "MOVE Porto", serviço que coloca o metro a circular 24 horas às sextas, sábados e vésperas de feriado.

Fonte oficial da Câmara do Porto confirmou à Lusa que a autarquia e a empresa de transporte público "estão na fase de afinação de pormenores para relançar o projeto", se possível já a seguir ao S. João, que se celebra na noite de 23 para 24 e na qual a Metro do Porto costuma disponibilizar um serviço especial noturno contínuo.

A mesma fonte adiantou estar já assegurado um serviço especial da Metro do Porto para a iniciativa "Concertos na Avenida" - Aliados -, que este ano contarão com a presença dos DAMA (dia 19), Rui Veloso (dia 20), Deolinda (dia 21), António Zambujo (dia 22) e José Cid (dia 23).

"Espera-se que a partir do dia 24 o ‘MOVE Porto' funcione nos moldes em que funcionou no ano passado", disse.

A Metro do Porto lançou em 2014 o serviço MOVE, disponibilizando uma operação noturna contínua nas noites dos fins de semana e vésperas de feriados entre julho e novembro.

De acordo com o relatório e contas da empresa de 2014, o MOVE, que "procurou dar resposta à concentração da animação noturna na baixa do Porto, com enorme afluência de pessoas durante as noites de fim de semana e crescentes dificuldades de acesso ao estacionamento", "representou um acréscimo de cerca de 75 mil validações na rede".

A parceria entre a Câmara do Porto, a Metro e a Sociedade de Transportes Públicos do Porto (STCP), além de "garantir a operação em modo contínuo nas linhas Amarela e Azul do metro", "melhorou a articulação entre o metro e a rede de madrugada da STCP, proporcionando um acesso mais rápido e direto à baixa", destaca o relatório.

O serviço visou promover "a responsabilidade social" por conferir uma maior segurança no lazer, sobretudo para os mais jovens, evitando preocupações e deslocações automóveis de risco.

A nível ambiental, o MOVE "veio reduzir a poluição atmosférica e sonora, o que contribui para a melhoria da qualidade de vida no espaço público", lê-se também no documento.

A Metro do Porto refere ainda no relatório que "o fomento da atividade comercial e dos setores do turismo e do lazer são, também, uma mais-valia deste serviço".