A Autoridade Marítima Nacional registou três mortes, entre maio e julho deste ano, sendo que duas ocorreram em praias não vigiadas e uma numa praia fluvial vigiada, segundo o balanço dos primeiros três meses da época balnear, hoje divulgado.

Uma cidadã inglesa, de 57 anos, morreu por afogamento, a 20 de junho, na praia do Dragão Vermelho, na Costa de Caparica, numa zona não vigiada.

A 30 de julho, também numa área não vigiada, na praia do Bom Sucesso, em Óbidos, um homem, de 40 anos e de nacionalidade portuguesa, foi vítima de morte súbita.