Dias depois da tragédia que vitimou mortalmente cinco peregrinos no IC2, na zona de Cernache, ainda não se sabe tudo o que se passou na madrugada de sábado. Os peregrinos que viram o despiste contam que o condutor tentou a fuga e não ia sozinho no carro. Dizem também que foram insultados por jovens que poucos minutos depois pararam junto ao local num segundo veículo.
 

“Passados  poucos minutos veio outro carro. Iam três pessoas dentro, que eram colegas dele. O carro que vinha apanhou o para-choques do que teve o acidente e continuou. Chegaram abaixo, pararam, saíram três rapazes novos a correrem e a dizerem ‘filhos da p---‘ vão para Fátima fazer o quê se nem rezar sabem?’”, afirmou à TVI um dos peregrinos sobreviventes.

 
A população de Mortágua ainda sofre com a morte dos cinco peregrinos. Dois deles, jovens escuteiros de 17 e 18 anos, foram homenageados com um memorial junto à escola.
 
Os dias são de dor e ninguém fica indiferente ao passar junto à agência funerária.
 
Os corpos já foram autopsiados e foram transportados para o quartel dos bombeiros de Mortágua durante a manhã de terça-feira. Às 15:00 realizou-se uma cerimónia fúnebre conjunta, presidida pelo vigário geral da diocese de Coimbra.