A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) registou, em 2012, menos acidentes do que em 2011 e uma redução de 8,9 por cento de vítimas mortais, no período de 30 dias após a ocorrência de acidentes de viação.

Dados reunidos pela ANSR referem que, no ano passado, o número de acidentes com vítimas foi de 29.867, de que resultaram 718 vítimas mortais, no período de 30 dias subsequentes à ocorrência dos acidentes, 1.941 feridos graves e 36.164 feridos ligeiros.

Comparativamente com 2011, verifica-se uma redução de 8,2% de acidentes com vítimas (menos 2.674), uma diminuição de 19,4% de vítimas mortais (menos 173), uma quebra de 14,3% de feridos graves (menos 324) e de 8,9% de feridos ligeiros (menos 3.531).

O tipo de acidente mais frequente foi a colisão entre veículos, o que representa cerca de metade dos acidentes com vítimas em 2012 (51%/15.122), dando origem a 35% do total de mortos (251) e 41% dos feridos graves (790).

Em comparação com 2011, assinala-se um decréscimo muito acentuado - de 27% - no número de mortos (menos 93) e de 18% de feridos graves (-176), resultante de colisões.

Em 2012, 33% (9.892) dos acidentes provocaram 43% dos mortos (310) e 39% dos feridos graves (761).

Os atropelamentos constituíram 16% (4.853) dos acidentes, com 22% das vítimas mortais (157) e 20% de feridos graves (390).

A maioria dos acidentes e das vítimas verificou-se dentro das localidades: 76% acidentes com vítimas, 55% mortos, 64% feridos graves e 74% feridos ligeiros.

Quanto ao tipo de via, o maior número de acidentes ocorreu em arruamentos (60% acidentes, 36% mortos e 45% feridos graves) e estradas nacionais (22% acidentes, 33% mortos e 30% feridos graves).

Em relação ao ano anterior (2011), a diminuição dos acidentes e vítimas foi extensiva a praticamente todas as vias, destacando-se uma redução de 23% de acidentes com vítimas em autoestradas, menos 31% de mortos, menos 18% de feridos graves menos 27% de feridos ligeiros.

Em 2012, 61% (23.545) do total de vítimas da sinistralidade rodoviária foram condutores, 26% (10.033), passageiros, e 14% (5.245), peões.

Em comparação com o ano anterior, registou-se um decréscimo em todas as categorias de utentes, muito embora tenha sido mais significativo entre os passageiros mortos (-44/-27%), os feridos graves (-97/-20%) e feridos leves (-1.269/-12%).

No que respeita à categoria de veículos, observaram-se 303 mortos (42%) e 903 feridos graves (47%), entre os utentes (condutores e passageiros) de automóveis ligeiros, 193 mortos (27%) e 529 feridos graves (27%), nos de duas rodas a motor, e 21 mortos (3%) e 30 feridos graves (2%), relativamente aos veículos pesados.

Em relação a 2011, evidencia-se também uma diminuição bastante acima da média nacional no número de ocupantes de automóveis ligeiros mortos (menos 26%, contra média anterior de 19%).

Os grupos etários situados entre os 20 e os 39 anos foram os mais afetados, constituindo 32% do total de mortos e 37% de feridos graves, registados em 2012.

Nas faixas etárias depois dos 65 anos, a ANSR registou 27% das vítimas mortais em 2012.