O português que sobreviveu ao acidente de viação de sábado no qual morreram três crianças perto de Zamora, Espanha, mantinha-se hoje de manhã nos cuidados intensivos, com "prognóstico grave", ainda que tenha "passado bem a noite".

"A condição [de saúde] continua inalterada. Passou bem a noite na Unidade de Cuidados Intensivos [do Hospital Virgen de la Concha, em Zamora], mas continua com prognóstico grave", disse à agência Lusa uma fonte oficial da tutela da Saúde na Junta (Governo Regional) de Castilla y León.


A outra sobrevivente, uma menor de 13 anos de nacionalidade francesa, também "permanece internada na Pediatria, com prognóstico ligeiro", adiantou a mesma fonte.

O acidente que vitimou mortalmente três crianças portuguesas e deixou dois feridos ocorreu no sábado de manhã, quando o carro em que seguiam colidiu com um camião ao quilómetro 482 da estrada N-122, perto de Cerezal de Aliste, província de Zamora, no noroeste do país.

As crianças que morreram, dois rapazes e uma menina, tinham quatro, oito e doze anos. O acidente ocorreu quando vinham a caminho de Portugal (mais concretamente para a vila de Murça, distrito de Vila Real), provenientes de França.

A estrada em que seguiam, a Nacional 122, é habitualmente usada por emigrantes que vêm a Portugal passar as férias.

O carro em que as crianças vinham, um Opel Zafira, colidiu com um camião carregado de pneus, que se incendiou, embora o condutor do pesado tenha saído ileso. O condutor do camião, que se dirigia para a Holanda, é também de nacionalidade portuguesa.

As autoridades de emergência sanitária da região deslocaram para o local do acidente um helicóptero médico, uma viatura médica de emergência, duas ambulâncias de suporte vital e um Ponto de Cuidados Continuados (PAC) do Centro de Saúde de Muelas del Pan (Cerezal de Ariste).