Os ataques de que foram alvo funcionários de organizações humanitárias atingiram um novo pico em 2013, com o registo de 155 mortos, de acordo com dados publicados esta terça-feira pelo centro de investigação Humanitarian Outcomes.

O Afeganistão encabeça a lista de países onde enfrentam maior risco ¿ com 81 mortos em 2013 ¿, segundo a mesma organização.

Ao longo do ano passado, foram mortos, em todo o mundo, 155 trabalhadores de organizações humanitárias, 171 feridos gravemente e 134 raptados.