Três pessoas foram acusadas de terem matado um panda, animal emblemático na China, e comercializado a sua carne, por um tribunal da província de Yunnan, no sudoeste do país, disse hoje a agência oficial chinesa Xinhua.

A polícia encontrou ossos, pele e carne colocada à venda de forma ilegal, e após testes de ADN confirmou que se tratava de uma panda fêmea adulta.

A China contava no fim de 2013 com 375 pandas gigantes em cativeiro, 166 machos e 209 fêmeas.

Em junho de 2014, 42 pandas viviam em 12 países, fruto da "diplomacia do panda", adotada por Pequim, que vê na oferta desta espécie ameaçada um símbolo de amizade.