A presidente e fundadora da associação SOL, Teresa Almeida, morreu hoje, aos 69 anos, na sua casa em Lisboa, vítima de cancro, adiantou à Lusa a direção da associação de apoio a crianças infetadas com o vírus da sida.

Pedro Bogarim, amigo de Teresa Almeida e membro da direção da SOL, recorda a presidente e fundadora da instituição como “uma benemérita” que dedicou a vida à “associação pioneira” que criou, a 17 de dezembro de 1993, “quando a discriminação em Portugal em relação à doença era muito forte”.

O trabalho desenvolvido pela SOL junto das crianças passa pela “elaboração e desenvolvimento de projetos de vida para as crianças infetadas e afetadas pelo vírus da sida”, fornecendo acompanhamento psicológico e social, promovendo a integração escolar e ajudando no acompanhamento hospitalar.

A associação acompanha também mães, pais e grávidas infetados pelo vírus HIV/sida, e promove ações de sensibilização e informação à população sobre a doença.

O trabalho desenvolvido pela associação SOL sob a liderança de Teresa Almeida foi distinguido pela UNESCO, no ano 2000, e, no ano seguinte, com o Prémio dos Direitos Humanos da Assembleia da República.

Em 2003 a SOL conquistou enquanto organização não-governamental o estatuto especial consultivo no Conselho Económico e Social das Nações Unidas.

Antes de fundar e se dedicar à associação SOL, Teresa Almeida exerceu a sua atividade profissional na área da psicologia infantil.

Teresa Almeida está em câmara ardente na Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes, no Parque das Nações, em Lisboa, a partir das 18:00 de quinta-feira.

Na sexta-feira há uma missa de corpo presente às 13:30 na mesma igreja e o funeral segue para o cemitério do Alto de São João, em Lisboa.