O pintor e arquiteto Carlos Calvet, 86 anos, morreu na tarde desta segunda-feira, devendo o funeral realizar-se na quarta-feira, soube a agência Lusa junto de fonte ligada à família.

Carlos Frederico Calvet nasceu em Lisboa, estudou na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa e do Porto, onde se licenciou em 1957. Além de arquiteto foi fotógrafo e artista plástico, com trabalhos em áreas como o cinema e pintura, a serigrafia e a gravura.

Carlos Calvet expos desde 1947, individual e coletivamente, tanto em Portugal como em numerosos países da Europa, América e Ásia.

Próximo do grupo surrealista de Lisboa, em cuja exposição de 1949 participou, a par de Mário Cesariny de Vasconcelos e Cruzeiro Seixas, iniciou a sua produção fotográfica anos depois, em 1956, motivado pela sua formação em arquitetura, que o levou a interessar-se também pelo cinema.

Considerado discípulo de Almada, Carlos Calvet foi um dos nomes mais destacados da arte contemporânea portuguesa, tendo editado na década passada um livro com grande parte da sua obra, intitulado «60 anos de pintura».