Um militar da GNR, de 44 anos, morreu, esta quinta-feira, em Lisboa, confirmou o Comando Geral da GNR ao tvi24.pt.

De acordo com a mesma fonte, o militar, que participou na manifestação das forças de segurança que decorreu em Lisboa, já estava identificado com problemas cardíacos e «a sua morte nada teve a ver com a manifestação».

«O militar teve uma paragem cardio-respiratória muito depois da manifestação que se revelou fatal para ele», afirmou fonte da GNR, acrescentando que este estava «acompanhado pelo irmão, que está incontactável».

Segundo o jornal «Guarda», o militar caiu inanimado na rua depois de abandonar a manifestação e foi socorrido pelo INEM, sem sucesso.

A vítima era natural do Marmeleiro, concelho da Guarda, mas estava em serviço em Lisboa e a GNR ainda está a apurar em que circunstâncias ocorreram a sua morte.

A manifestação desta quinta-feira juntou todas as forças de segurança frente à Assembleia da República e terminou com a invasão da escadaria do Parlamento.

Os profissionais das forças e serviços de segurança protestaram contra os cortes previstos nos vencimentos e nos orçamentos das próprias instituições policiais em 2014.

Notícia atualizada às 19h11