Atualizado às 13:40

Um bebé de 16 meses perdeu a vida quando estava no berço e puxou o fio de um candeeiro de parede da linha Smila, vendida no IKEA. Enrolou-se e morreu sufocado. Num outro incidente, que envolveu um bebé de 15 meses, este não chegou a morrer porque foi encontrado a tempo. De acordo com o site da comissão responsável pela segurança dos produtos no Estados Unidos, a Consumer Product Safety Commission, os dois casos aconteceram na Europa.

A marca sueca retirou os produtos do mercado e divulgou um aviso na sua página oficial, onde pede aos clientes que tenham candeeiros da gama Smila perto de berços, que verifiquem se o fio está ao alcance de crianças, devido ao perigo que representa.

«A segurança é uma prioridade máxima para a IKEA. Por isso, pedimos aos nossos clientes que tenham um candeeiro de parede SMILA, que verifiquem imediatamente se o candeeiro e o respetivo cabo estão fora do alcance de crianças quando instalados junto a um berço ou espaço de atividades, e que o cabo está fixo de forma segura à parede», lê-se no alerta.

A empresa também oferece também «um kit de reparação com uma etiqueta de segurança, instruções de segurança e fixadores autoadesivos para fixar o cabo do candeeiro à parede».

De acordo com o jornal britânico «Daily Express», o caso mortal remonta a outubro de 2012. O bebé de 17 meses, chamado Daniel Madden, enrolou-se no fio do candeeiro e sufocou.

Os seus pais, Susan Fox, enfermeira, e Paul Madden, técnico de gás, sabiam do «aviso», mas não quiseram comentar ao jornal a decisão do IKEA em lançar, agora, o alerta.

Ainda de acordo com a mesma notícia, a empresa sueca só terá tido conhecimento do caso, em maio deste ano.