O presidente da Câmara de Mortágua, José Júlio Norte, disse hoje à agência Lusa não ter qualquer dúvida de que o incêndio que começou naquele município no sábado teve origem criminosa.

“Não tenho qualquer dúvida de que foi fogo posto. Não sei com que motivação, mas não tenho qualquer dúvida. Agora, é tempo de a Polícia Judiciária tratar desse assunto”, disse o autarca.

O fogo que deflagrou às 14:14 de sábado na freguesia de Espinho, Mortágua, e que se estendeu ao concelho vizinho de Anadia, já no distrito de Aveiro, estava a ser combatido às 12:00 de hoje por 290 operacionais e 92 meios terrestres.

O presidente daquela autarquia do distrito de Viseu disse-se, por outro lado, esperançado de que o combate faça ceder as chamas.

“Penso que está a caminhar para uma fase de controlo, apesar de alguns reacendimentos”, concluiu.