O empresário madeirense Joe Berardo recordou as várias vezes que esteve com Nelson Mandela enquanto viveu na África do Sul, referindo-se ao antigo Nobel como «uma pessoa humilde, que falava com toda a gente» e com sentido de humor.

O ex-Presidente sul-africano e «era uma pessoa humilde, falava com toda a gente, com graça e sentido de humor», disse o comendador à agência Lusa.

«Acho que vai fazer muita falta, porque é um exemplo para a humanidade e poderia ser considerado um líder não só político, mas também espiritual», defendeu Joe Berardo que emigrou para a África do Sul com 18 anos e aí iniciou os seus negócios.

Para o empresário, «o maior dom do Presidente Mandela era ser um símbolo de tolerância, porque tinha todas as razões para se tornar uma pessoa vingativa, mas deu o exemplo e vai ficar para o resto da vida como um sol».

Segundo considerou, Nelson Mandela «é um exemplo para todos os seres humanos e para os políticos, visto que deu toda a sua vida a favor dos outros» e «até poderia ser comparado a um líder espiritual».

Sobre o futuro da África do Sul sem Mandela, Berardo opinou que a situação «está cada vez mais difícil e os responsáveis vão ter que liderar».

«Mas até nisso ele foi um exemplo, porque esteve na liderança do país e quando achou ser altura, foi substituído, e contribuiu ainda em vida para a estabilidade na África do Sul, sendo um ícone para a nação sul-africana», argumentou.

«Tive o privilégio de conhecê-lo e emocionei-me com a notícia da sua morte, mas, de acordo com a tradição africana, hoje não é dia para ficar triste porque Nelson Mandela vai continuar o seu trabalho», concluiu

A morte de Nelson Mandela, aos 95 anos, foi anunciada pelo Presidente da República da África do Sul, Jacob Zuma, numa comunicação televisiva.

Líder da luta contra o «apartheid», Nelson Mandela foi o primeiro presidente negro da África do Sul, entre 1994 e 1999.