A queda de um helicóptero fez esta quinta-feira «dois mortos», confirmou à TVI24 o comandante dos bombeiros de Ponte de Sor, Joaquim Gomes. O acidente ocorreu em Montargil, Ponte de Sor. O aparelho caiu na Herdade da Amieira, perto do aeródromo de Ponte de Sor.

O alerta às autoridades foi dado às 10:50. As vítimas são dois homens, com idades «entre os 20 e 30 anos». O aparelho pertence a uma «escola de aviação».

Um instrutor português e um aluno angolano são as vítimas mortais da queda do helicóptero, disse à agência Lusa o vereador do município responsável pela Proteção Civil. Francisco Alexandre, responsável pela área da Proteção Civil na Câmara de Ponte de Sor, no distrito de Portalegre, indicou que se desconhecem, por enquanto, as causas da queda do helicóptero ligeiro.

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA) vai abrir um processo de investigação às causas da queda do helicóptero, disse à agência Lusa o diretor do GPIAA, Álvaro Reis. «Uma equipa vai deslocar-se ao local do acidente para fazer a recolha de indícios do caso», afirmou Álvaro Reis.

A empresa proprietária do helicóptero revelou que o instrutor era «experimentado» e cumpria «todas as normas» de segurança. Em comunicado enviado à agência Lusa, a empresa G Air explicou que «o helicóptero acidentado é um Hughes 249 em operação de instrução com um instrutor experimentado, dentro de todas as normas de segurança».

De acordo com a empresa, «desconhecem-se» as causas do acidente, sublinhando que vai ser prestada «colaboração total» junto das autoridades competentes para o apuramento dos factos.

Fundada em 1979 sob o nome de Aerocondor, a G Air é uma escola de treino e formação aeronáutica com um polo de formação no Aeródromo de Ponte de Sor. Naquela cidade, a G Air oferece formação de linha aérea e helicóptero, estando o polo (centro de treino) instalado em vários hangares do aeródromo.