Os 10 ocupantes de um barco que virou, na tarde desta quinta-feira, em Moledo, Caminha, foram todos resgatados e tudo não passou de «um grande susto», disse à Lusa o comandante da capitania local.

De acordo com Gonzalez dos Paços, capitão do Porto e comandante da Polícia Marítima (PM) de Caminha, o acidente com a embarcação de pesca tradicional ocorreu «em frente a Moledo», no decurso da procissão ao mar que liga Caminha a Vila Praia de Âncora, ponto alto das festas da Senhora da Bonança, que decorrem até domingo.

O acontecimento religioso integra na sua maioria as embarcações dos pescadores locais, mas também embarcações de recreio.

«O barco de pesca, com dez ocupantes a bordo, entre eles o mestre, virou e as pessoas caíram ao mar. Foram rapidamente socorridas por outras embarcações que se encontravam nas proximidades e que participavam na procissão e pelo dispositivo da PM e dos bombeiros de Caminha», precisou Gonzalez dos Paços.

O comandante explicou que o dispositivo de segurança mobilizado para o acompanhamento da procissão integrava duas embarcações semirrígidas, duas motas de água da PM e um bote da corporação de bombeiros local.

«O dispositivo implementado foi o suficiente e funcionou, já que ninguém se magoou, ninguém desapareceu e todos foram retirados da água com prontidão», sustentou.

Gonzalez dos Paços destacou que em dois anos de exercício de funções nunca presenciou um caso semelhante e enalteceu a colaboração de todas as embarcações que seguiam nas proximidades, que, «ao aperceberem-se do sucedido, socorreram as pessoas que caíram à água».

O responsável admitiu que a grande dificuldade foi confirmar a existência de algum desaparecido, uma vez que as pessoas foram sendo retiradas da água por várias embarcações.

De acordo com o comandante, as idades dos ocupantes da embarcação oscilam entre os 14 e os 65 anos.

Questionado pela Lusa, Gonzalez dos Paços adiantou que vai ser instaurado um inquérito, como acontece sempre que ocorre um acidente marítimo, para apurar sobre as causas do acidente.