O Governo português está a acompanhar o caso de 200 trabalhadores que alegadamente trabalhavam há cerca de dois meses na Dinamarca, sem qualquer contrato ou salário e que viviam num edifício abandonado.

O caso, que foi denunciado pela imprensa local, tornou-se polémico naquele país e levou mesmo o Governo dinamarquês a prometer ajuda aos emigrantes, providenciando desde logo novo alojamento, agora num hotel.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros está a acompanhar o caso «através da embaixada de Portugal em Copenhaga» e «já foram feitos contactos com as autoridades dinamarquesas», disse à Lusa fonte oficial do MNE.

Esta quinta-feira, «dois funcionários da embaixada foram às instalações onde os trabalhadores estiveram alojados e ao hotel onde se encontram atualmente» e esta sexta-feira também contactaram alguns portugueses, acrescentou.

O Governo português diz que tem a garantia de que a empresa irlandesa vai responder às necessidades dos trabalhadores.

A embaixada esteve «em contacto com os trabalhadores portugueses» e também «com um representante da empresa irlandesa para a qual os cidadãos portugueses trabalham», acrescentou, referindo ainda que os funcionários da embaixada se deslocaram ao município de Rodovre.

A mesma fonte do MNE mencionou ainda que a Autoridade para as Condições de Trabalho também foi informada, através do gabinete do secretário de Estado das Comunidades.