A Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) garantiu esta segunda-feira que o Hospital do Fundão continuará integrado no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e manterá as valências, apesar do processo de devolução à misericórdia local.

Em comunicado enviado à Lusa, a ARS aponta que, «à semelhança dos acordos já firmados com os hospitais de Anadia, Fafe e Serpa, todas as unidades devolvidas continuarão integradas no SNS, não se verificando qualquer redução de valências existentes».

No esclarecimento, é ainda referido que «os processos de devolução dos hospitais às misericórdias têm em atenção as necessidades específicas da população da respetiva área de influência» e que visam «melhorar a qualidade e o acesso à prestação dos cuidados de saúde de proximidade».

Este esclarecimento surge na sequência da assinatura que decorreu dia 16 em Lisboa do terceiro «Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário»,  no qual está prevista a passagem dos hospitais de Santo Tirso, de São João da Madeira e do Fundão para a alçada das misericórdias locais.