O estado de saúde do bombeiro de 32 anos de Miranda do Douro que sofreu queimaduras graves no combate às chamas«evoluiu favoravelmente» nas últimas horas, pelo que o ferido está já a respirar «de forma espontânea».

Segundo Luís Pedro Martins, do Gabinete de Comunicação do Hospital da Prelada, no Porto, «o bombeiro encontra-se já em respiração espontânea, tendo sido retirado o apoio mecânico de respiração». «No que respeita às queimaduras, os ferimentos estão e evoluir favoravelmente», acrescentou.

Quando deu entrada no Hospital da Prelada há 17 dias, o bombeiro apresentava queimaduras de segundo e terceiro graus em cerca de 50% do corpo. No mesmo incêndio ficaram feridos três homens e uma mulher, com idades entre os 19 e os 32 anos.

No combate ao fogo, uma viatura dos bombeiros de Miranda do Douro foi consumida pelas chamas.

O incêndio florestal deflagrou às 12:40 do passado dia 16 de julho na zona de Cortiços, em Macedo de Cavaleiros, e foi dado como dominado por volta das 18:00, do mesmo dia.

O fogo chegou a ter duas frentes ativas e o seu combate envolveu sete meios aéreos e 140 operacionais de várias corporações de bombeiros apoiados por 38 veículos.