O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, referiu este domingo que a legionella é um problema de manutenção, vigilância e controlo que está a “ser apertado” nos equipamentos públicos e nas instalações do Sistema Nacional de Saúde (SNS).

Numa sessão de perguntas de cidadãos ao Governo, para assinalar os dois anos do executivo de António Costa, na Universidade de Aveiro, o governante, quando questionado sobre os recentes casos de legionella, afirmou que a Direção-Geral da Saúde (DGS) “apertou recentemente a malha” às estratégias e orientações de controlo a este problema de saúde pública.

Referindo-se ao surto de legionella no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, que infetou até agora 56 pessoas, cinco das quais morreram, Adalberto Campos Fernandes disse que esta é uma situação que não quer que em “circunstância alguma” se repita, tudo fazendo para que nas instalações do SNS ela seja minorada.

O surto de legionella no Hospital São Francisco Xavier infetou pelo menos 56 pessoas, cinco das quais morreram, com a Doença dos Legionários, uma forma de pneumonia grave que se inicia habitualmente com tosse seca, febre, arrepios, dor de cabeça, dores musculares e dificuldade respiratória, podendo também surgir dor abdominal e diarreia.

Das pessoas infetadas com a doença, todos com doença crónica e/ou fatores de risco, dois continuam internados nos cuidados intensivos e 14 na enfermaria. A maioria dos doentes (68%) têm idade igual ou superior a 70 anos.

O ministro da Saúde, que foi o mais solicitado pelos cidadãos, adiantou ainda que o Governo “tudo está a fazer” para diminuir os níveis das infeções hospitalares, problema sério de saúde pública.

Estamos a investir muito na diminuição da taxa de incidências das infeções hospitalares nos hospitais, onde maioritariamente a questão se coloca, com o objetivo de chegar ao fim da legislatura com melhores níveis”, frisou.

Além destas questões, o governante adiantou que outra das suas prioridades é atribuir a cada português um médico de família, existindo uma grande aposta na reforma dos cuidados primários com, por exemplo, centros de saúde com cada vez mais valências.

LEIA TAMBÉM:

O Sistema Nacional de Saúde (SNS) é um dos mais eficientes da Europa, considerou, sublinhando, contudo, que é necessário ser ainda mais eficiente.

O Governo assinalou hoje dois anos em funções com um Conselho de Ministros extraordinário em Aveiro, da parte da manhã, seguido de uma sessão, à tarde, em que os membros do executivo responderam a questões colocadas por cidadãos ao longo de mais de uma hora.