O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, anunciou no Algarve que esta quarta-feira vai ser publicada a portaria dos rácios, que abre a porta à contratação de mais 1.500 assistentes operacionais para as escolas do país.

Hoje será publicada a portaria de rácios de assistentes operacionais que nos permitirá ao longo do próximo ano, ao longo deste ano, contratar 1.500 assistentes operacionais, com uma marca importante nos alunos com necessidades educativas especiais, mas também no pré-escolar", disse o governante.

Segundo o ministro, estando já assinada a nova portaria de rácios, a entrada dos assistentes operacionais, ou seja, auxiliares, nas escolas deverá acontecer "a breve trecho", prevendo-se que, em dois anos, as escolas possam vir a ter um total de mais 2.550 auxiliares.

Tiago Brandão Rodrigues explicou que a portaria dos rácios se trata de um instrumento que indica quantos assistentes operacionais devem existir em cada escola, em função da sua tipologia e número de alunos.

O anúncio da contratação de 1.500 assistentes operacionais aconteceu na quinta-feira, na véspera da abertura oficial do ano letivo, durante uma visita do ministro da Educação à Escola Básica e Secundária do Padrão de Légua, concelho de Matosinhos, distrito do Porto.

Período de permutas entre professores vai ser alargado 

Tiago Brandão Rodrigues também disse esta quarta-feira que o período para as permutas entre docentes vai ser alargado, depois da forte contestação dos professores que foram colocados em escolas a centenas de quilómetros de casa.

Trabalharemos também para reafirmar o conjunto de ferramentas que temos disponíveis para que eles [professores] se aproximem [de casa], por exemplo, aumentando o período em que as permutas estão abertas", referiu, em declarações aos jornalistas, não especificando quanto tempo será o alargamento.

Na terça-feira, um grupo de cerca de três dezenas de professores reclamou, junto da Assembleia da República, a suspensão do mais recente concurso de mobilidade interna, que consideram marcado por “injustiça e ilegalidades”.

Questionado pelos jornalistas sobre a situação destes professores, o governante adiantou que o período para as permutas vai ser alargado para que, por exemplo, "um professor do Norte que está colocado mais a sul possa aproximar-se de casa, permutando com outro professor da mesma disciplina".

Tiago Brandão Rodrigues garantiu estar a trabalhar para que "cada vez mais, mais professores possam estar próximo da sua área de residência", mas sublinhou a "complexidade" do processo, nomeadamente, por terem decorrido quatro concursos alinhados em simultâneo, o que ainda não tinha acontecido.

Segundo o governante, apesar de não ser o objeto do encontro, este será um dos temas em debate na reunião que está marcada para sexta-feira com a Federação Nacional de Educação (FNE) e a Federação Nacional dos Professores (Fenprof).

Tiago Brandão Rodrigues falava aos jornalistas na Escola Secundária de Loulé, à margem de uma visita que decorreu no último dia do arranque do ano letivo, durante a qual o ministro inaugurou uma rádio escolar.

"O primeiro dia", de Sérgio Godinho, foi a primeira música a ser emitida pela rádio, com a particularidade de ter sido escolhida pelo próprio ministro da Educação, que concedeu ainda uma pequena entrevista a um dos mentores do projeto.