O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, afirmou esta sexta-feira que os diretores das escolas de todo o país consideram positiva a implementação do novo modelo de avaliação dos alunos do ensino básico e a sua calendarização.

Os diretores das escolas “foram muito positivos relativamente às mudanças implementadas e à calendarização aplicada e as impressões que recebemos e as perguntas que foram levantadas vão ao encontro do nosso modelo”, disse.

O titular da pasta da educação falava à agência Lusa no final de uma reunião com diretores de agrupamentos e escolas não agrupadas do Alentejo, em Évora, a última de sete sessões de trabalho para a apresentação do novo modelo de avaliação do ensino básico.

O ministro referiu que o novo modelo “vai ao encontro das preocupações de muitos agrupamentos e das escolas não agrupadas deste país”, cujos diretores “demonstraram que o modelo de avaliação externa resolve problemas que o anterior claramente apresentava”.

Tiago Brandão Rodrigues fez um balanço “altamente positivo” das reuniões, em que disse terem participado “mais de 800 diretores” de agrupamentos e escolas não agrupadas.

“Acabou por ser importante, porque levamos dúvidas, mas, acima de tudo, soluções para muitas das questões que fazem parte do quotidiano das escolas”, assinalou.

O Ministério da Educação decidiu aplicar provas de aferição no 2.º, no 5.º e no 8.º ano de escolaridade e manter a prova final no 9.º ano, a única com peso na nota final dos alunos.